24jan/17

Revisão bibliográfica da técnica de TPLO (tibial plateau levelling osteothomy) para o tratamento de lesões do ligamento cruzado cranial

RESUMO

A ruptura do ligamento cruzado cranial é a afecção de joelho mais comum em cães. As técnicas de reparação extra-articulares apresentam bons resultados pós-operatórios, porém apresentam alterações cinéticas do movimento do joelho, podendo causar lesão do menisco e da cartilagem. Por outro lado, técnicas intra-articulares, apesar de preservarem a movimentação normal do joelho, utilizam de enxertia, que pode falhar, devido à necrose avascular secundária. A TPLO (tibial plateau levelling ostheotomy) visa estabilização por restrição ativa do joelho, através de alterações mecânicas dessa articulação e demonstra resultados positivos em relação ao retorno total à função, podendo ser aplicada tanto em cães de raça pequena quanto grande, porém é um procedimento mais invasivo e caro que a técnica extra capsular devido a necessidade de instrumentos especializados e implantes, além de apresenta altos índices de complicações (até 28% dos casos), tais como tendinite patelar, fratura da fíbula e infecções.
Palavras-chave: Cães, joelho, osteotomia

ABSTRACT

Cranial cruciate ligament rupture is the most common affection of the dogs’ knees. The extra-capsular techniques present good results, but they cause kinetic alterations of the knee movement, and may lead to damage of the meniscus and the cartilage. On the other hand, intra-articular techniques preserve the normal movement of knees, but the graft can fail, due to secondary avascular necrosis. TPLO (tibial plateau leveling ostheotomy) causes stabilization by active restriction of the knee, through mechanical alterations of this joint. It shows good results regarding total return to function, being used in both large and small breeds, but it is a more invasive procedure and more expensive due to the specialized instruments and implants, and it also shows high rates of complications (up to 28% of the cases), such as patellar tendonitis, fibular fracture and infections.
Keywords:Dogs, knee, osteotomy

26abr/16

Tratamento de fratura de escápula com luxação da articulação escápulo-umeral em um cão por meio de cerclagem e transposição do tendão do músculo bíceps braquial – Relato de caso

RESUMO

Descreve-se o tratamento de uma fratura de corpo de escápula envolvendo a face articular do ombro, associada a luxação medial de úmero, em um cão, mediante cerclagem interfragmentária com fio metálico e transposição do tendão do músculo bíceps braquial. O animal não recuperou completamente a função do membro, concluindo-se que a técnica utilizada para a redução da luxação medial da articulação escápulo-umeral não proporcionou a evolução esperada, observando-se retardo na recuperação, em comparação às outras técnicas de redução da luxação do ombro, como a banda de tensão colateral lateral em forma de oito.
Descriptores: Cirurgia, ortopedia, artrologia, escápula, úmero

ABSTRACT

This paper reports the treatment of a fracture in the body of the scapula in a dog, involving the articular face of the shoulder and associated with medial umeral luxation, using inter fragmentary cerclage with metallic suture and transposition of the brachial biceps tendon. The patient did not recover the limb function, and it was concluded that the employed technique did not offered good results, with retarded recovering in comparison to other techniques do reduce shoulder luxation, as the “eight”sling.
Descriptors: Surgery, orthopedics, arthrology, scapula, humerus.

06out/15

Osteossíntese de fêmur em cães e gatos empregando fixador esquelético externo uniplanar (Tipo I) combinado a pino intramedular (Tie-in), unidos por metil-etil-metacrilato

RESUMO

Existem diversas técnicas para estabilização das fraturas femorais, e neste trabalho avaliou-se o fixador esquelético externo uniplanar (Tipo I) combinado a pino intramedular (Tie-in), unidos por resina de metil-etil-metacrilato. Nesta técnica, o pino intramedular tem uma porção exteriorizada, que é dobrada perpendicularmente ao eixo longitudinal do osso, ficando disposto de forma paralela aos outros pinos do fixador. O sistema se mantém rígidos em função da união com resina, e resiste às cargas de torção, cisalhamento e compressão. O pino intramedular controla o envergamento, obtendo-se assim uma configuração que duplica a estabilidade. Foram operados mediante a utilização da técnica de Tie-in 17 cães e três gatos atendidos na rotina do Hospital Veterinário da Universidade Paranaense e de uma clínica particular, que apresentavam fratura de fêmur. A cicatrização óssea foi avaliada por meio do exame ortopédico e do acompanhamento radiográfico no dia zero (pós-operatório imediato), 45 e 60 dias. A técnica foi bem sucedida em 19 dos 20 casos operados (95%), possibilitando indicar o método como plenamente eficiente.
Palavras-chave: cirurgia veterinária, ortopedia veterinária, fratura

ABSTRACT

There are several techniques for stabilization of femoral fractures, and this study evaluated the uniplanar external skeletal fixation (Type I) combined with intramedullary pin (Tie-in), joined by methylmethacrylate resin. In this technique, the intramedullary pin has an outward portion that is bent perpendicularly to the longitudinal axis of the bone, being arranged parallel to the other pins of the fixator. The union with resin gives rigidity to the system, which resists torsional loads, shear and compression. The intramedullary pin control buckling, thereby obtaining double configuration stability. The Tie-in technique was employed in 17 dogs and three cats with femoral fractures, operated routinely in the Veterinary Teaching Hospital of the Universidade Paranaense and a private clinic. Bone healing was evaluated by orthopedic examination and radiographic follow-up on day zero (immediate postoperative), and 45 and 60 days after. The technique was successful in 19 of the 20 operated cases (95%), allowing to indicate the method as efficient.
Keywords: surgery, orthopedics, fracture

Artigo Completo

06out/15

Recuperação funcional de dois cães com fratura e luxação vertebral torácica caudal com 100% de deslocamento do canal vertebral

RESUMO

Objetivou-se relatar a ocorrência de recuperação funcional de dois cães com fratura e luxação vertebral na região torácica caudal com 100% de deslocamento do canal vertebral que apresentavam paraplegia e percepção de dor profunda intacta nos membros pélvicos e cauda. O animal um apresentava à radiografia, fratura oblíqua do corpo de T13 e luxação entre T12 – T13, com 100% de deslocamento do canal vertebral, sendo submetido ao tratamento cirúrgico de hemilaminectomia e estabilização segmentar dorsal. O animal dois apresentava ao estudo por imagem, fratura da epífise caudal de T11 e luxação entre T11 – T12, com 100% de deslocamento do canal vertebral e foi submetido ao tratamento conservativo, por meio de imobilização externa em tábua, fixo por fitas adesivas. O cão número um apresentou recuperação total da deambulação voluntária 30 dias após o início do quadro e o animal dois apresentou recuperação da deambulação voluntária com discreta ataxia, sete dias após o início do tratamento. A deambulação recuperada foi acompanhada de nocicepção nos membros pélvicos e cauda. Conclui-se que o parâmetro isolado de 100% de deslocamento radiográfico do canal vertebral não deve desencorajar a realização da terapia, pois conforme os resultados do presente estudo há possibilidade de recuperação da deambulação voluntária nesses casos.
Palavras-chave: Sistema nervoso, trauma medular, critério radiodiagnóstico, cães

ABSTRACT

The objective was to report the occurrence of functional recovery of two dogs with caudal thoracic vertebral fracture and luxation with 100% displacement of the spinal canal that had paraplegia and intact deep pain perception in the hindlimbs and tail. The first animal had an oblique fracture of the body of T13 and luxation between T12 – T13, with 100% displacement of the spinal canal, and hemilaminectomy and dorsal segmental stabilization were performed. The second animal had caudal epiphyseal fracture and luxation between T11 – T12, with 100% displacement of the spinal canal and underwent conservative treatment. The first dog showed full recovery of voluntary deambulation 30 days after presentation and the second animal had recovery of voluntary deambulation with slight ataxia seven days after initiation of treatment. The recovered ambulation was accompanied by nociception in the hindlimbs and tail. It was concluded that the isolated parameter of 100% displacement on radiographic imaging of the vertebral canal should not discourage the realization of therapy because, as the results of this study show, there is the possibility of recovery of voluntary ambulation in these cases.
Keywords: Nervous system, spinal cord trauma, radiodiagnostic criteria, dogs

05out/15

Tenectomia seguida por tenorrafia com uso de enxerto autógeno de tendão em cão com estiramento do tendão calcâneo: relato de caso

RESUMO

O estiramento é uma lesão que indica um grau de ruptura nas fibras do músculo, do tendão ou da junção miotendinosa. O tecido tendíneo tem como características a baixa vascularização, oxigenação e nutrição, possuindo assim, pouca capacidade de regeneração. Um tendão leva cerca de seis semanas para adquirir resistência suficiente para transmitir de forma efetiva a força gerada por seu músculo homônimo. Objetiva-se com este trabalho relatar o caso de uma paciente da espécie canina submetida à tenectomia seguida por tenorrafia com uso de enxerto autógeno do próprio tendão calcâneo estirado. A paciente teve o membro imobilizado com tala modificada de Robert Jones após o procedimento cirúrgico e voltou a deambular com angulação normal do membro após a retirada da tala. Concluiu-se, neste caso, que a correção do estiramento crônico do tendão pode ser efetuada, com bons resultados, por meio da tenectomia seguida de tenorrafia com a utilização de enxerto autólogo do próprio tendão associada a uma imobilização pós-operatória do membro por 60 dias com tala de Robert Jones modificada.
Palavras-chave: enxerto, estiramento, tendão, cão.

ABSTRACT

The stretch is an injury that indicates a degree of disruption in the muscle fibers, tendon or myotendinous junction. The tendon tissue is characterized by low blood supply, oxygenation and nutrition, which have little capacity for regeneration. A tendon takes about six weeks to acquire sufficient strength to effectively transmit the force generated by its homonymous muscle. This case report aims to show a canine patient submitted to tenectomy followed by tenorrhaphy using stretched autogenic calcaneus tendon. The patient was immobilized after surgery with modified Robert Jones bandage and returned to walk with normal angulation of the limb after removal of the splint. We conclude in this case that correction of chronic tendon stretching can be performed with good results by tenectomy followed by tenorrhaphy using autogenous tendon associated with a postoperative immobilization of the limb for 60 days with modified Robert Jones bandage.
Keywords: graft, stretching, tendon, dog.